Skip to main content
   
   
Go Search
Visão Contacto
  

Visão Contacto > Posts > Videojogos na China: como o estágio INOV Contacto me permitiu perceber a realidade desta mega-indústria
Videojogos na China: como o estágio INOV Contacto me permitiu perceber a realidade desta mega-indústria

Nuno Pires | C23 | Gamebau | Shanghai, China

O mundo dos videojo­gos já é algo que todos conhecemos desde pequenos. Sentávamos à frente da televisão para jogarmos Super Mario na Nintendo 64 ou jogávamos Pokémon Amarelo no Gameboy. Nos dias de hoje, as pessoas “colam-se” ao computador para jogar League of Legends, Minecraft ou Fortnite.

Com o avanço das tecnologias, também os jogos sofreram uma evolução. Melhores gráficos, novas mecânicas, mais competição. Para além da competitividade entre jogadores passou a haver uma maior competitividade entre os países e as respetivas empresas que desenvolvem e publicam videojogos.

Mercado dos videojogos

Segundo a Newzoo, em 2018 a China obteve 39.7MM$ (Milhares de milhões) em receita. Do total da receita, estima-se que foram gerados 24MM$ apenas em jogos mobile, um grande aumento face aos 15MM$ de 2017. Assim, China manteve o primeiro lugar, seguido dos Estados Unidos da América e do Japão que obtiveram uma receita de 30.4MM$ e 19.2MM$, respetivamente.

De uma população com aproximadamente 1.3MM de pessoas, a China teve 600 milhões de jogadores ativos. Em termos absolutos corresponde a quase metade da sua população. No entanto, este valor toma outras proporções tendo em conta que, corresponde quase ao dobro da população total dos Estados Unidos.

O vício dos telemóveis

Paremos agora de falar de números e falemos de pessoas. Um dos principais choques que senti quando cheguei a Shanghai, foi ver a enorme quantidade de pessoas que fica agarrada ao telemóvel. Sim, podem dizer que isso também se vê em Portugal ou noutro país Ocidental, mas aqui o termo “estar colado ao telemóvel” é quase literal pois as pessoas estão ativamente a olhar e a usar o telemóvel a toda a hora, estejam elas a andar no meio da rua, no metro ou a comer uma refeição.

"Em qualquer que seja o sítio, é possível ver uma pessoa, qualquer seja a sua idade, a jogar um jogo no telemóvel. Ainda que haja muitas pessoas que joguem no computador ou em consolas, a quantidade de jogadores mobile é que perfazem a maioria dos jogadores referidos na seção anterior."

Os gigantes dos videojogos

"Na China há centenas e centenas de empresas que publicam videojogos, mas há duas gigantes que se destacam: Tencent e NetEase. A Tencent publicou jogos tais como King of Glory (KoG), criado após a empresa ter adquirido a Riot Games (em Dezembro de 2015), que é a criadora de um dos jogos de computadores mais conhecidos até à atualidade, o League of Legends (LoL). O KoG é uma versão mobile, baseada no LoL, que foi criada especificamente para os chineses. Posteriormente criou uma versão internacional pelo nome de Arena of Valor (AoV). Outro jogo muito famoso publicado pela Tencent é a versão mobile do famoso multiplayer battle royale PUBG (Player Unkown’s Battlegrounds)."

"A NetEase tem jogos como Knives Out, um multiplayer battle royale que, para além da China, tem grande fama no Japão. Tem ainda o Onmyoji, um jogo turn-based. A NetEase é também responsável pela divulgação do World of Warcraft."

Durante o estágio na Gamebau, fui aprendendo como é que um publisher de jogos opera, onde um dos objetivos, para além de encontrar novos parceiros e publicar novos jogos, é manter/aumentar o número de jogadores para que a economia do jogo fique equilibrada. Uma das principais fontes de receita são as micro transações dentro do jogo, onde se pode comprar novos e mais fortes equipamentos, novas personagens ou até mesmo novas skins para as personagens, só para se destacarem em relação aos outros jogadores.

Para manter o interesse dos jogadores é necessário criar planos de ação, onde se introduzem novas funcionalidades ou eventos especiais. Eventos esses, nos quais o jogador poderá comprar novos acessórios, equipamentos, personagens e skins com descontos e de tempo limitado.

A China tem um potencial enorme porém, entrar no mercado não é tarefa fácil. Existe uma grande quantidade de normas e restrições impostas pelo Governo, que devem ser seguidas. Mas depois de se conseguir a aprovação, têm à sua espera um enorme mundo de jogadores ávidos.

Imagem de destaque: Shivam Maurya

Created By: Nuno Figueiredo Pires
Published: 06-12-2019 17:13

Comments

There are no comments yet for this post.

 ‭(Hidden)‬ Content Editor Web Part ‭[2]‬

Visão Contacto