Skip to main content
   
   
Go Search
Visão Contacto
  

Visão Contacto > Posts > Políticas e instituições de apoio ao empreendedorismo e internacionalização em Espanha
Políticas e instituições de apoio ao empreendedorismo e internacionalização em Espanha

Daniel Araújo Esteves | C20 | Beta-i | Madrid, Espanha

Atualmente, de forma a ser competitivo, é necessário ter uma atitude empreendedora. Um perfil que promova o desenvolvimento económico, a mudança e a tecnologia e que permita um destaque no mercado.

O empreendedorismo é considerado um fenómeno global que se verifica ser cada vez mais forte em países desenvolvidos e em vias de desenvolvimento. A necessidade de inovar continuamente e de encontrar novas ideias, fomenta este crescimento do número de empreendedores e de start-ups. Este movimento empreendedor implica também que novas políticas estruturais sejam tomadas, já que, por serem atividades inovadoras, muitas vezes não têm legislação que as cubra e por fomentarem também o emprego e a criação de empresas, devem ser desenvolvidas leis que promovam estas atividades.

Verifica-se também que várias organizações procuram apoiar os empreendedores e vemos também empresas como incubadoras, aceleradoras de start-ups ou espaços de coworking a criarem espaços e redes de contactos de forma a criar um ecossistema empreendedor que facilite e impulsione o empreendedorismo.

Visto que o meu estágio do INOV Contacto é em tudo ligado ao empreendedorismo, às formas de promovê-lo, melhorar as capacidades dos empreendedores e o seu acesso a uma comunidade que os ajude a desenvolver as suas ideias e start-ups, além de uma análise mais pormenorizada ao ecossistema espanhol, às suas instituições e políticas, vou expor um pouco da minha experiência de contacto com o mundo empreendedor.

A minha experiência

Portugal

A organização para a qual trabalho, Beta-i, é um dos grandes impulsionadores do empreendedorismo a nível nacional com eventos e programas de aceleração de start-ups reconhecidos internacionalmente pela sua qualidade como o Lisbon Challenge ou o Lisbon Investment Summit que teve lugar nos dias 7 e 8 de junho e que trouxe a Lisboa investidores, empreendedores e executivos de todo o mundo. Em Portugal, nas três semanas que estive nos escritórios da Beta-i em Lisboa, presenciei um ecossistema muito dinâmico, pró-ativo e maduro, mas ainda com uma larga margem de progressão. Temos um ambiente empreendedor em tudo internacional e aberto, como qualquer empresa portuguesa com ambições de escala deve ter.

Prova do sucesso Português enquanto promotores do empreendedorismo e da nossa afirmação enquanto uma das potências mundiais na área do empreendedorismo é a escolha de Lisboa como cidade que recebe o WebSummit, uma conferência sobre tecnologia que acontece anualmente há já 6 anos.

Neste evento podemos encontrar empresas que vão desde a Fortune 500 às empresas tecnológicas mais excitantes. Toda a indústria tecnológica, desde os poderosos CEO’s, aos fundadores de start-ups estarão no próximo mês de novembro em Lisboa para discutir e mostrar as últimas tendências e tecnologias. Verifica-se também um crescente interesse de aceleradores internacionais em instalarem-se em Portugal e seguirem de perto o crescimento e desenvolvimento da tendência empreendedora que se verifica.

Podemos assim falar de um impacto bastante positivo que o empreendedorismo tem trazido ao mercado Português, não só pelo interesse internacional no nosso país e nas nossas empresas como também pela criação de emprego que tem causado. Casos de êxito de Start-ups como Uniplaces, Farfetch, Aptoide, Feedzai, Veniam ou Codacy são a prova viva deste sucesso português.

Espanha

Em Espanha deparei-me com um ecossistema igualmente desenvolvido mas, de certa forma, mais fechado ao mercado interno espanhol. No entanto, logo na minha primeira semana em Barcelona participei em dois eventos de magnitude internacional. O 4YFN (4 years from now) é o evento que acolhe a comunidade de Start-ups tecnológicas. É uma ótima plataforma de negócio já que coneta start-ups, grandes empresas e investidores sempre com o pensamento que a cultura Start-up é uma força que permite impulsionar a economia e o tecido empresarial. O MWC (Mobile World Congress) combina a maior exposição mundial na área mobile com conferências com os executivos que representam os operadores móveis, fabricantes de dispositivos, fornecedores de tecnologia, fornecedores e proprietários de conteúdo de todo o mundo.

Na edição de 2016 foi possível observar os lançamentos dos últimos dispositivos móveis e de tendências como a Realidade Virtual e a Internet of Things por parte de muitos dos grandes players internacionais no panorama tecnológico. Estiveram presentes personalidades como Chuck Robbins, CEO da Cisco, Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, Brian Krzanich, CEO da Intel entre tantos outros executivos de multinacionais.

Desde a minha chegada a Madrid, tive a oportunidade de estar a trabalhar num dos locais que, por excelência, promove o empreendedorismo e tem uma marca bastante positiva no ecossistema e comunidade espanholas nesta área.

O “Campus” é uma rede global de espaços que pretendem catapultar grandes ideias e moldar o futuro. Criada pela Google for Entrepreneurs, na rede “Campus”, o objetivo é criar e impulsionar uma comunidade próspera de start-ups. O Campus Madrid faz parte desta rede global. É um espaço onde se podem encontrar, a qualquer hora, dezenas de start-ups e empreendedores apoiados por várias organizações que promovem diariamente eventos, workshops e palestras.

A completar um ano de existência neste mês (junho de 2016), o Campus Madrid conta com várias organizações residentes que independentemente trabalham em prol da comunidade e do empreendedorismo e que têm uma contribuição muito positiva no panorama espanhol:

• Tetuan Valley

• Techstars

• SeedRocket

• TechHub

• TechHub

Ecossistema de Start-ups em Espanha

O ecossistema espanhol tem assistido a um grande crescimento ano após ano, contando atualmente com cerca de 1785 start-ups. Dados de 2014 determinam que as empresas emergentes, na sua maioria de base tecnológica, faturaram mais 29% do que em 2013.

Num país com este crescimento a nível empreendedor, também se encontram inúmeras organizações que apoiam start-ups e com negócios focados na promoção do empreendedorismo, no investimento e no impulso de start-ups, destacando-se os aceleradores de start-ups e as incubadoras.

Aceleradores de start-ups - programas com uma duração definida, direcionados a um grupo de start-ups e que inclui mentoria e componentes educacionais que permitem a fundadores de start-ups obter o conhecimento necessário para a criação de um negócio, para validar o seu produto ou serviço, encontrar o seu segmento de mercado e fortalecer todos os aspetos relacionados com negócio e desenvolver aspetos técnicos. Culminam normalmente num evento público de Pitch ou num Demo Day.

Incubadoras – empresas que apoiam start-ups no seu desenvolvimento, fornecendo serviços como espaço de escritório ou mentoria a nível de gestão.

Na imagem abaixo podemos visualizar os vários aceleradores, programas e incubadoras existentes neste momento em Espanha bem como a fase das start-ups a que se destinam (pré seed investment, seed investment ou crescimento), localização, duração ou a percentagem de equity com que ficam pela participação das start-ups nos seus programas.

Darei agora mais ênfase a oito das mais importantes e reconhecidas organizações no panorama espanhol. Dois aceleradores promovidos por empresas bem implementadas no mercado espanhol, dois promovidos por comunidades de empreendedores, dois pré-aceleradores e duas organizações muito ativas na promoção do empreendedorismo em Espanha, uma de Madrid e outra de Barcelona.

Ecossistema de Start-ups em Espanha

Seed Rocket

Seed Rocket – é um acelerador de start-ups que oferece um Programa de Seed Funding Venture para start-ups com base tecnológica. A Seed Rocket proporciona um investimento inicial e trabalha com os fundadores no desenvolvimento das etapas iniciais das start-ups.

As Start-ups participam num programa de uma semana onde recebem treino e conhecimentos por parte dos mentores especialistas da Seed Rocket e profissionais da indústria que lhes proporcionam as chaves para desenvolverem com sucesso a sua ideia de negócio. A semana termina com um Demo Day onde as start-ups podem ter contacto com investidores e business angels.

Conector

O objetivo do Conector é ajudar, apoiar e acelerar projetos internacionais relacionados com internet mobile e novas tecnologias. Os mentores são o grande ativo do Conector já que são empreendedores de sucesso reconhecidos em diferentes áreas de negócio. É uma aceleradora de start-ups especializada em projetos digitais que estejam prontos para serem lançados no mercado. Têm um processo rigoroso de matching entre mentores e start-ups de forma a que cada equipa e cada mentor tenha a melhor experiência e possam retirar o máximo proveito do programa. O programa tem uma duração de 6 meses em que mentores e empreendedores trabalham juntos e discutem estratégias que se tomam decisões.

Corporate Accelerators

Lanzadera

A Lanzadera é um programa de aceleração promovido pelo presidente da cadeia de supermercados espanhola Mercadona. É, portanto, uma iniciativa privada que impulsiona e suporta projetos empreendedores líderes através de capital privado ajudando a desenvolver e valorizar as start-ups. Fornece soluções empresariais para que os empreendedores implementem modelos de negócio robustos. Convida indivíduos e organizações com projetos empresariais inovadores e oferece-lhes conceitos educacionais, económicos e recursos estruturais de forma a que possam implementar os seus projetos.

Wayra

A Wayra é um acelerador de start-ups promovido pela operadora de telecomunicações Telefónica. Foi lançado em 2011 em Espanha e América Latina. Neste programa as start-ups recebem financiamento, espaço de escritório e mentoria. Além de impulsionarem ideias, através da Wayra, a telefónica pretende adquirir talento para a empresa. Conta já com 14 academias em 12 países da Europa e América Latina, sendo que o plano é dar apoio a mais de 350 start-ups.

Pre-accelerators

Tetuan Valley

É conhecido como o primeiro pré-acelerador de start-ups non-profit da Europa. Tem como principal objetivo a promoção do empreendedorismo e do desenvolvimento regional, sempre numa perspetiva tecnológica. Além dos projetos europeus em que participa ativamente, promove um programa de pré-aceleração de 6 semanas – Start-up School. Com um portfólio de mais de 70 mentores especializados nas mais variadas áreas, oferece aos seus alunos uma experiência única e de grande valor, de forma a desenvolverem as suas capacidades enquanto empreendedores, a montarem a sua start-up e a transformar as suas ideias num produto viável, com aceitação de Mercado e que seja escalável.

Startup Next

é um programa promovido pela Techstars que prepara start-ups para aceleradores e para investimento seed, promovendo mentoria de grande qualidade, impulsionando uma rede global de investidores, mentores e fundadores de start-ups. O programa está desenhado de forma a que os fundadores possam continuar a desenvolver os seus produtos e consiste em sessões de 3 horas semanais durante 6 semanas. À semelhança da Start-up School do Tetuan Valley, o programa é gratuito e não se obtem qualquer parte do capital das start-ups. Apesar de fazer parte da Techstars, o Startup Next não prepara as start-ups apenas para os aceleradores da techstars. Este programa já ajudou mais de 50 start-ups a integrarem em aceleradores top mundiais e a obterem mais de 40 milhões de dólares em financiamento.

Entidades promotoras do empreendedorismo

Barcelona Activa

"Barcelona Activa is integrated in the Area of Employment, Enterprise and Tourism at Barcelona City Council; it is responsible for promoting the economic development of the city, designing and implementing employment policies for citizens, and encouraging the development of a diversified local economy. For the last 30 years it has been a driving force behind Barcelona and its hinterland's economic activity, supporting policies to develop employment, entrepreneurship and business, while promoting the city and its strategic sectors internationally, but from a regional perspective."

Madrid Emprende

Madrid Emprende é uma organização dirigida pela Direção Geral de Comércio e Empreendedorismo, que planifica as políticas nas matérias de comércio, incubação de empresas e empreendedorismo. Ajudam, assim, empreendedores a por em marcha as suas ideias, impulsionando o espírito empreendedor, apoiando o emprego e as novas atividades económicas.

Madrid Emprende desenha estratégias para fomentar o empreendedorismo dos cidadãos de Madrid, promove relações e colaboração com outras administrações públicas, instituições e organizações, impulsiona a competitividade das start-ups de forma a fortalecer o empreendedorismo e a inovação tecnológica. Além disto, gere parques empresariais e promove iniciativas em torno do empreendedorismo e negócios.

Apesar de os números demonstrarem uma tendência de crescimento do ecossistema empreendedor e de start-ups, existem no entanto bastantes barreiras a ser eliminadas para dar resposta aos modelos de negócio que, pelo seu grau de inovação, são constantemente confrontados com regulações e normativas estabelecidas. Os principais obstáculos enfrentados pelas start-ups são evitar a fuga de talento, estimular o espírito e cultura empreendedores em todas as fases educativas, criar um marco regulatório estável que facilite a criação, gestão e encerramento de empresas, potenciar uma cultura global de empreendedorismo e melhorar o acesso ao capital potenciando assim o reinvestimento de lucros, atraindo investimento estrangeiro e melhorando o acesso ao financiamento coletivo.

Sem dúvida que entre as inúmeras dificuldades implícitas no processo de criar uma nova empresa, o acesso a financiamento é a maior. A ausência de recursos acaba convertendo-se na principal barreira de muitos potenciais empreendedores que, por vezes, acabam por desistir dada a escassez de financiamento. Deste modo, as ajudas e subvenções são um ótimo recurso para futuros empresários. Assim, além de políticas europeias como o Horizonte 2020 ou o Erasmus for Young Entrepreneurs, o estado espanhol, as comunidades autónomas (distritos) e entidades locais promovem subvenções anualmente. Há várias ajudas que o apoio estatal oferece aos empreendedores

Pagamento único do Subsídio de Desemprego

O pagamento único do subsídio de desemprego é uma ajuda que tem como objetivo facilitar o arranque de projetos empreendedores orientados para o autoemprego. Existem obviamente critérios que devem ser cumpridos para poder oficializar este pedido, como por exemplo, não ter recebido esta ajuda nos últimos quatro anos ou a obrigatoriedade de começar a atividade num prazo máximo de um mês.

Ajuda para jovens empreendedores

Com o desemprego juvenil superior a 50% e a dificuldade de acesso ao crédito, é natural que existam apoios adicionais para incentivar os jovens a empreender. Um destes apoios é o Empréstimo Participativo para Criação de Empresas para Jovens oferecido pela Enisa (Empresa Nacional de Inovação). Os requisitos são ter idade inferior a 40 anos e que a ajuda seja direcionada à aquisição dos ativos necessários para desenvolver a atividade.

Ajudas para mulheres empreendedoras

Estas ajudas e subvenções têm como objetivo facilitar o início de negócios por parte de mulheres empreendedoras:

• Microcréditos do Ministério da Igualdade – As condições deste financiamento destinado a mulheres dispostas a empreender são muito atrativas, já que os projetos viáveis não têm que apresentar aval. Estas ajudas e subvenções têm como objetivo facilitar o início de negócios por parte de mulheres empreendedoras:

• Microcréditos do Ministério da Igualdade – As condições deste financiamento destinado a mulheres dispostas a empreender são muito atrativas, já que os projetos viáveis não têm que apresentar aval.

Ajudas à inovação

Espanha é um país dominado por atividades económicas sem componente tecnológico. Desta forma, surgem ajudas para empreendedorismo orientado a fomentar as atividades tecnológicas. O Ministério da Economia e Competitividade oferece um apoio fiscal a estes empreendedores. Proporcionam uma redução fiscal entre 35% e 60% para os projetos orientados para a investigação e o desenvolvimento tecnológico.

Ajudas e subvenções para empresas de base tecnológica

• EBT – pensado para apoiar empresas de base tecnológica e de caracter inovador, sendo que existe uma grande preponderância do plano de negócios dos candidatos.

• NEOTEC – as ajudas por parte deste programa financiam o desenvolvimento de novos projetos empresariais que requeiram o uso de tecnologia e conhecimentos desenvolvidos a partir da atividade de investigação e em que a estratégia de negócio se baseie no desenvolvimento de tecnologia.

• INNVIERTE – este programa integra a Estratégia Espanhola de Ciência, Tecnologia e Inovação (2013 – 2020). Esta estratégia tem também o objetivo de promover a inovação empresarial mediante o apoio ao investimento de capital de risco em empresas de base tecnológica e inovadoras.

Ajudas e subvenções das comunidades autónomas

Cada comunidade autónoma gere as ajudas e subvenções para a criação e modernização de empresas inovadoras. Trata-se de uma subvenção entre 15% e 40% do investimento destinado a empresas inovadoras.

Ajudas para Business Angels

Os Investidores, fundos privados e os chamados Business Angels são uma boa opção para o financiamento dos empreendedores e start-ups. Um Business Angel investe dinheiro, experiência ou uma combinação dos dois fatores. É chamado de “Smart Money” já que pode fornecer contactos, conhecimentos entre outros benefícios. Através da lei dos empreendedores, há ajudas importantes e deduções para estes investidores. Por exemplo, é possível uma dedução na sua declaração de renda de 20% até um máximo de 50.000€ além de que algumas comunidades autónomas adicionam uma poupança fiscal extra.

Ajudas à internacionalização

O comércio com o exterior é uma das bandeiras da União Europeia e como tal há vários apoios neste sentido. O principal apoio promovido pelo estado espanhol é através do Instituto de Comercio Exterior que oferece ajudas aos empreendedores que queiram entrar em novos mercados geográficos.

Created By: Daniel Araújo Esteves
Published: 24-11-2017 18:01

Comments

There are no comments yet for this post.

 ‭(Hidden)‬ Content Editor Web Part ‭[2]‬

Visão Contacto