Skip to main content
   
   
Go Search
Visão Contacto
  

Visão Contacto > Posts > Viver em Helsínquia - a serenidade responsável
Viver em Helsínquia - a serenidade responsável

Rita Ribeiro | C23 | University of Helsinki | Helsínquia, Finlândia

É certo que o clima não inspira à visita e nem a escuridão de inverno deixa espaço para a curiosidade; mas o verão também cá chega. E não há quem o saiba aproveitar melhor do que os finlandeses. Pessoas pragmáticas que dispensam conversas de circunstância e usufruem de parques e florestas como mais ninguém, sejam espaços privados ou não, por que a natureza é um ”everyman’s right”.

Aprendi em Helsínquia a palavra “siso”, que sem tradução precisa, remete para o sentido de determinação, resiliência e coragem. Virtudes que definem quem aproveita os escassos dias de sol e não se lamenta pelo frio no resto do ano. Admiro esta atitude perante a vida que é incutida desde cedo nos mais novos e faz com que sejam mais independentes e mais ativos. É certo que isto não advém exclusivamente da atitude das famílias, mas também da segurança que Helsínquia transmite a vários níveis. A criminalidade é praticamente inexistente e a igualdade de género é evidente.

Aprendi a valorizar o espaço pessoal que os finlandeses tanto estimam. Percebi que vem do respeito pelo outro, mais do que da necessidade de distanciamento. Por norma, não há aqui quem tome iniciativa numa conversa com quem não conhece, pelo mesmo motivo, o não querer incomodar.

Viver na Finlândia é muito bom. Viver aqui é viver numa redoma, sem grandes preocupações com os problemas que correm no mundo, mas vivendo de forma consciente. É um país que reflete preocupações ecológicas e que sabe, desde há muito, implementar medidas sustentáveis como a reciclagem, potenciar a utilização de bicicletas como meio de transporte, e ensinar o respeito pela natureza.

É um país onde as pessoas confiam nas políticas e nos serviços, simplesmente porque funcionam. É um país que não promove o estilo de vida consumista e sim os prazeres simples, como nadar num dos seus 1000 lagos, ou apanhar cogumelos e frutos silvestres. O sistema funciona, sim, mas essencialmente porque a mentalidade de cumprir, ser honesto, respeitar o próximo e não tentar ganhar vantagem está incutido na população. E é sem dúvida este último ponto o que mais admiro na Finlândia – as pessoas.

E é aqui que Portugal pode aprender um pouco com a Finlândia – uma alteração de atitude coletiva que pode ter um forte impacto no dia a dia de trabalho ou mesmo dos tempos de lazer. E à Finlândia.. faltará sempre o nosso calor português, as nossas mesas cheias nos almoços de domingo, as nossas casas barulhentas cheias de risos.

Porque por muito bom que seja viver na Finlândia...

...não há casa como a nossa.

Created By: Ana Rita Salgado Ribeiro
Published: 21-11-2019 15:40

Comments

There are no comments yet for this post.
Visão Contacto