Skip to main content
   
   
Go Search
Visão Contacto
  

Visão Contacto > Posts > Será que os jornais de papel vão acabar?
Será que os jornais de papel vão acabar?

       Marta Lopes - SBS; Melbourne; Austrália.

Ler jornais na Internet é já algo banal. Na altura em que trabalhava no jornal, eles tinham várias secções, uma delas era a da Internet. Aí, um jornalista/gestor de conteúdos (começo a confundir um pouco os conceitos) colocava as notícias do jornal na Internet, além de actualizar, ao minuto, tudo o que se passava no mundo do desporto. Estávamos apenas no início da revolução. Também me lembro de grandes discussões com os professores na Universidade acerca da questão: Será que os jornais de papel vão terminar? Penso que ainda hoje, com uns faqueiros à mistura, dvds, cromos da bola, e T-shirts haute-couture, ainda hoje, se questionam acerca disso.

 

O que existe hoje são dois mundos que se completam. O mundo real, do jornal, da rádio e da televisão, como meios de comunicação que se complementam, mas que não se confundem e o mundo virtual. O tal mundo das novas tecnologias de informação que pega nos três meios e faz a sua fusão. Vamos tornar isto bem mais prático. Actualmente estagio na rádio SBS em Melbourne. Esta rádio australiana é um caso bem particular. Transmite todos os dias e em 68 línguas diferentes, sendo uma delas o português. Aquilo que faço, e que todos os jornalistas fazem nesta rádio, é fascinante. Além de serem jornalistas, são também broadcasters e operadores. Basicamente, estão treinados para fazer tudo. Claro que têm operadores profissionais, mas só são utilizados se o

Jornalista o quiser. Além da pré-produção do programa, e da sua transmissão, o jornalista tem também que fazer a pós-produção, que no nosso caso significa colocar os conteúdos do programa na nossa página* da internet. O que é que isto significa? Que mal termina o nosso programa, este será colocado automaticamente na Internet, onde qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo, com acesso à Internet, pode saber o que se passa na Austrália, no mundo, e nos países de língua oficial portuguesa, em português. Assim os nossos ouvintes passam de um universo de 50 mil lusófonos que vivem na Austrália, para um universo de 230 milhões de lusófonos.

 

Na semana passada tivemos uma reunião, via vídeo-conferência, com a nossa colega que faz o programa de Sydney e o tema que dominou a reunião foi a Internet. Tal como ela dizia e bem, “os ouvintes da rádio via FM não vão aumentar, a tendência é sempre para diminuir, portanto o nosso objectivo terá que ser conquistar assinantes do podcasting. Através de uma página mais atractiva e funcional”. Claro que nem tudo depende de nós, aí os designers do website têm um trabalho árduo pela frente, porque esta não é certamente nem atractiva, nem funcional. O que faço é, basicamente, dividir uma hora de programa em segmentos (notícias, current affairs, entrevistas, reportagens desporto), editar o texto em português e em inglês, editar a foto e fazer o upload no sistema. Muito brevemente uma nova revolução vai acontecer aqui na Austrália. Em 2009, as emissões da Rádio Digital vão começar, oficialmente. O que se espera que mude? Espera-se que aquilo que já existe na internet possa também existir numa Telefonia Sem Fios digital.

 

O que é importante reter é que se “sintonizar” agora o site da rádio BBCBrasil vou encontrar além do texto da notícia, o áudio e também vídeo. Se agora for “folhear” O Público, através do podcast do suplemento Digital, podemos escutar o padre Júlio a dirigir-se “ao amigo cibernauta”. E se formos à CNN, então aí podemos ler o que se passa no mundo sem sequer ligar a telinha da TV. Bem-vindo ao mundo das sinergias de meios!

 

No meio de todas estas mudanças, um jornalista só tem que se adaptar e perceber que há um mundo inteiro a ser conquistado. Não existe mais a barreira do espaço, nem sequer do tempo. A única barreira que existirá sempre é a da imparcialidade. Quanto a mim, espero pacientemente, que um dia possa escutar os meus programas de rádio preferidos, sem interferências, à hora que quiser, onde quiser e totalmente grátis... bem baixinho para não incomodar os outros.

Created By: Teresa Jeremias
Published: 13-11-2007 17:01

Comments

There are no comments yet for this post.

 ‭(Hidden)‬ Content Editor Web Part ‭[2]‬

Visão Contacto