Skip to main content
   
   
Go Search
Visão Contacto
  

Visão Contacto > Posts > Nunca unir o mundo foi tão simples, requerendo apenas alguma dedicação e um "clique"
Nunca unir o mundo foi tão simples, requerendo apenas alguma dedicação e um "clique"

Beatriz da Silva Leal Ferreira | C24 | YDigital Media | São Paulo, Brasil

Picture

A Revolução Digital veio redefinir a forma como comunicamos, não só pela rapidez da propagação e acesso à informação, como pelo poder que deu a cada indivíduo de expressar a sua opinião e relacionar-se com milhões de outras pessoas através de um simples ecrã e uma conexão à internet.

Esta globalização, aliada a uma evolução constante das tecnologias de comunicação, que tentam constantemente superar-se e atingir “the next big thing” na experiência da comunicação não presencial, tem vindo a permitir uma redução cada vez maior das distâncias, permitindo que pessoas vindas de realidades completamente diferentes, e a milhares de quilómetros de distância, interajam, discutam opiniões e partilhem interesses.

O Mundo Digital apresenta uma oportunidade única para marcas e causas chegarem a todo o tipo de pessoas, gerar debate e criar partilhas de opiniões em torno de uma ideia comum. Para além de ser uma plataforma online que permite acesso a todo o tipo de websites e redes sociais, ou seja, basicamente todo o tipo de lugares para todo o tipo de pessoas – o digital permite também comunicar em todo o tipo de formatos possível – vídeo, imagem, texto, som, etc. Esta versatilidade cria oportunidades alternativas de despertar a atenção das pessoas, partilhar conteúdo em grande escala e criar algo impactante e memorável que ressoe na consciência das pessoas e as faça sentir algo (e possivelmente tomar alguma posição ou ação em relação a isso).

O poder de união do Digital é imenso. Podemos vê-lo no gosto que tantos cibernautas partilham por algo tão simples como vídeos de gatos e cães no Youtube (existem milhões de vídeos para o efeito), e também em formas mais complexas e usado para dar visibilidade a assuntos mais profundos, que não fazem parte do dia a dia confortável de um ser humano comum. Falamos aqui do poder que esta plataforma nos dá para criar awareness para causas e problemas que podem ter sido ignorados até agora, e tentar gerar mudança nas pessoas que conseguirmos atingir.

A situação atual que estamos a viver, com a pandemia da COVID-19, tem sido um reflexo disto mesmo. Para além de ter sido uma fonte de partilha e apelo de consciência mundial quando o vírus ainda se considerava contido na província de Wuan, na China, hoje em dia continua a ser uma forma importante de tentar combater as consequências económicas (e sociais) que o vírus está a ter em cada país. As medidas governamentais de isolamento social obrigaram muitos negócios locais, por todo o mundo, a fechar portas e a terem que criar alternativas de home delivery para conseguirem manter-se abertos. A comunicação constante de aplicações como a Uber e a Rappi, no sentido de apelarem aos consumidores para apoiarem restaurantes locais em vez de grandes distribuidores de food delivery, como a McDonalds, com notificações diárias na app e descontos especiais na taxa de entrega para estes restaurantes específicos, fazem toda a diferença, no sentido de apelar para a consciência social das pessoas em relação aos seus bairros e o impacto que podem ter no restaurante onde gostavam de ir.

Já tínhamos visto o mundo digital unir-se por muitas outras causas mundiais, tendo conseguido criar um impacto gigantesco. Em 1985, a ONG USA for África (United Support of Artists for Africa), com a participação de 45 artistas gravou a célebre interpretação da música We Are The World, tendo por objetivo ajudar as vítimas de fome e de doenças em África. Em 2010, o mesmo conceito foi usado para angariar dinheiro para o Haiti depois de um sismo de magnitude 7.0 ter devastado o país e a mesma música sido regravada e lançada como “We Are the World 25 for Haiti”,  contando com a participação de novos artistas.

Outro exemplo (desta vez com impacto nacional e também com recurso à música) foi a campanha lançada pela aplicação Shazam em colaboração com o Disque Denúncia, a FCB Brasil e o jornal Estado de S. Paulo, chamada “Músicas de Violência”. Esta campanha teve por objetivo levantar o debate sobre músicas que reproduzissem discursos de violência contra a mulher. Sempre que a aplicação identificava uma música com uma letra relacionada com abuso e violência, eram disponibilizados vídeos de testemunhos de mulheres que foram vitimas de violência de qualquer tipo, apelando à consciência do ouvinte.

Como mostram estas campanhas, o próximo capítulo da solidariedade mundial está na mãos de cada um de nós. Temos no digital um potencial enorme para mobilizar pessoas em torno de novas causas, e tornar o mundo cada vez mais unido e livre de fronteiras sociais, religiosas ou éticas. A forma como conseguimos passar a mensagem a estas pessoas vai definir o impacto que conseguimos obter, e não há nada que a criatividade, a contribuição das pessoas "certas" e a escolha dos canais de comunicação corretos não consiga atingir.

Nunca unir o mundo esteve foi tão simples e esteve à distância de alguma dedicação e um simples "clique".

Share on Facebook
Created By: Beatriz Da Silva Leal Ferreira
Published: 29-09-2020 15:08

Comments

There are no comments yet for this post.

 ‭(Hidden)‬ Content Editor Web Part ‭[2]‬

Visão Contacto