Skip to main content
   
   
Go Search
Extranet InovContacto
  

Extranet InovContacto > Visão Contacto > Posts > Maldivas: "para férias, um paraíso, para trabalhar, não é fácil." São palavras do Marco Araújo, C15, atual Hotel Manager do Waldorf Astoria Maldives Ithaafushi
Maldivas: "para férias, um paraíso, para trabalhar, não é fácil." São palavras do Marco Araújo, C15, atual Hotel Manager do Waldorf Astoria Maldives Ithaafushi

Marco Matos Araujo | C15 | Venetian Macau Ltd | Macau, China

Marco Araújo

O Marco Araújo, estagiou em Macau, no Venetian Macau Ltd durante o C15.

Recentemente conversou com o jornal “O Minho” sobre a sua nova experiência no cargo de Hotel Manager do Waldorf Astoria Maldives Ithaafushi, tendo abordado também a sua da trajetória escolar e profissional.

Tem 35 anos e é responsável por 1000 empregados, 119 vilas, 11 restaurantes e uma ilha privada. Afirma que “gerir pessoas é o mesmo em todo o lado. Basicamente é gerir personalidades, e aqui, embora os locais predominem (cerca de metade dos funcionários são naturais das Maldivas), tenho 31 nacionalidades, pessoas de todas as partes do mundo”.

A receita do sucesso

O Marco refere que o sucesso não passa apenas pelo trabalho - “É muito importante fazer bem aquilo que fazemos, mas ao mesmo tempo também é necessário ter uma atitude correta com os colaboradores porque, no final do dia posso estar à frente do hotel, mas os empregados são os que levam o hotel no dia-a-dia".

Os maiores desafios nas Maldivas

- Logística - a realidade das ilhas exige uma grande flexibilidade. Os produtos demorarem quase seis meses a chegar, sendo difícil chegar a tempo dos eventos planeados.

- Isolamento ou “estar fechado nas ilhas”. Segundo o Marco estar de férias nas Maldivas é um paraíso. Mas, para quem trabalha e está fechado dentro das ilhas, não é fácil. É necessário ter uma grande capacidade mental, uma vez que não é qualquer pessoa que consegue estar fechado numa ilha, sem ir a um shopping, por exemplo, ou sem ver a família e os amigos. No fundo, sem sair da zona onde trabalha.

O caminho

Recorda o início do seu percurso no Minho, onde estudou na Escola Profissional do Alto Lima e trabalhou em restaurantes e no Hotel Termas de Monção. Prosseguiu os estudos na Escola Superior de Hotelaria e Turismo e integrou o INOV Contacto, tendo realizado o estágio em Macau, dando assim início à sua experiência asiática.

Na Ásia

Considera que Macau foi bom para o começo do seu percurso asiático, pois “tem o Ocidente e o Oriente juntos dando para adaptar de forma mais fácil. Havia muita comida portuguesa, produtos portugueses nos supermercados, mas também deu para ir conhecendo a cultura oriental”. Após sete anos em Macau decidiu embarcar para outra região mais paradisíaca, e foi para a Tailândia, onde trabalhou cinco anos.

Começou por servir alimentos e bebidas à mesa de restaurantes de hotéis, até chegar a diretor de operações e diretor comercial, em dois hotéis na Tailândia.

No final de 2021, recebeu um convite para gerir o maior hotel das Maldivas, da cadeia Hilton, e nem pensou duas vezes.

Lembra o susto que marcou a hotelaria nas Maldivas durante os primeiros meses da pandemia. Depois, o Governo local percebeu que, com os hotéis encerrados, a Economia ia enfrentar fortes constrangimentos, uma vez que o Turismo é o principal dinamizador das Maldivas.

Agora, o turismo está mais forte do que nunca. O Governo prevê aumento de turistas neste ano, após o fecho de 2021 ter tido resultados acima das expectativas.

Alguns conselhos aos jovens

Nas entrevistas de seleção o Marco costuma dizer que não está à procura de experiência, mas sim de personalidade e atitude. Assim, se os jovens tiverem a atitude certa e a personalidade correta, mesmo que não saibam nada do trabalho, vão aprender. Deixa também a seguinte indicação: “muitas vezes é importante sair da zona de conforto e experimentar novas culturas e novos países para aprender e também trazer essas experiências para Portugal. Não tenham medo de sair, acreditem em vocês próprios. Neste momento, a Ásia é o top em termos de crescimento na hotelaria. Tudo o que cresce, é na Ásia, e quando olhamos para países como a China, percebemos logo isso. É preciso notar também que grande parte dos europeus e americanos acabam todos por vir passar férias á Ásia”.

O futuro

No fundo, o Marco sabe que um dia vai voltar a Ponte de Lima. Mas, nos próximos tempos vai manter-se na Ásia, o continente onde o Turismo e a Hotelaria mais crescem. “a Hilton vai construir mais de 1000 hotéis na China em 2022. Só num país. Na Europa toda isso não é possível".

Share on Facebook
Created By: Isabel Azevedo
Published: 11-02-2022 16:50

Comments

There are no comments yet for this post.

 ‭(Hidden)‬ Content Editor Web Part ‭[2]‬

Visão Contacto